XLV CINEMA COMENTADO IESI / FENORD

Filme: Ilegal

Encerrando as atividades do semestre, o XLV Cinema Comentado trouxe a produção cinematográfica “ILEGAL”, tendo sido comentado pelo coordenador da atividade, Marco Antonio Poubel e o acadêmico, Victor Hugo Lopes de Oliveira. O documentário "Ilegal" registra a luta de mães pela regulamentação da maconha medicinal. Katiele Fischer é mãe de Anny, uma menina de cinco anos que sofre da síndrome de CDKL5, grave e sem cura, e precisa do canabidiol (CBD), um remédio derivado da Cannabis sativa.

Com cenas fortes, o filme evidencia o quão lenta e burocrática é a sociedade brasileira, quando o tema gira em torno da Anvisa. Uma das cenas mais angustiantes, entre tantas outras, é protagonizada por Katiele. A mãe de Anny tenta falar com a Anvisa, para saber onde se encontra o canabidiol importado por ela dos Estados Unidos e barrado no Brasil. A filha começa a convulsionar. São 60 convulsões por semana. Ou seja, uma convulsão a cada duas horas.

O documentário mostra a importância de se dar visibilidade a determinados assuntos; quão relevante é o posicionamento de jornalistas como Tarso, que resolvem contar uma história. A reportagem inicial levou o casal Fischer ao Fantástico, da Globo, e a várias notas e notícias pela internet. Agora "Ilegal", que conta com depoimentos de parlamentares como Jean Wyllys (PSOL - RJ) a médicos como Drauzio Varella, chega aos cinemas para propor uma discussão.

"Ilegal", além de propor debate, chega até duas questões primordiais: até que ponto o mero preconceito impedirá a evolução de uma sociedade como a nossa? E até que ponto o Estado deve ou não ditar as regras de algo tão pessoal, como o fim do sofrimento do meu filho? Se este mesmo Estado é capaz de ouvir de uma mãe que sua criança convulsiona a cada duas horas, todos os dias, e nada faz? Katiele, e tantas outras, sabem que traficam. E elas continuarão a fazê-lo.




Fundação Educacional Nordeste Mineiro
Home | Facebook